sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Timidez


Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve. . .

— mas só esse eu não farei.

Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes..

— palavra que não direi.

Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,

— que amargamente inventei.

E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando...

— e um dia me acabarei.
Cecilia Meireles

4 comentários:

  1. Adorei! Esse poema é mesmo muito bonito!
    Beijinhos enormes!

    PS: Posso-te adicionar no MSN? Se não te importares, claro.

    ResponderEliminar

Obrigado por visitarem o meu blog!